fumaçalbum

by Pathéticos

/
  • Streaming + Download

    Includes high-quality download in MP3, FLAC and more. Paying supporters also get unlimited streaming via the free Bandcamp app.

      name your price

     

1.
2.
3.
4.
06:10
5.
6.
7.
8.
04:36

about

~~~DOWNLOAD 0.00~~~
é só botar o e-mail que já era!
____________________________________.

Ah! o fumaçalbum...
lembro bem quando fora escrito em papel de seda
umas partes em papel de pão
tomando um cháfé
ao som de violão.

Platistócrates

credits

released July 2, 2013

Pathéticos é:

Rufus Costa: voz e baixo
Cielo Gonzaga: voz e bateria
Everton Andrade: voz e guitarra
Mario Frugiuele: voz, piano e sintetizadores
Leo Yonezawa: voz e guitarra

Participações de:
Mauro 22: Trompete em "Lena"
Kiko: Escaleta em "Nessa Canção"

Visitem nossa página do Facebook: www.facebook.com/patheticossp

Todas as músicas foram compostas por Pathéticos. Exceto "Nessa Canção" por (Franco 4 Dedos e Rufus Costa)
****************************
Queremos agradecer a todos que contribuíram de alguma forma para que o registro do Fumaçalbum fosse viável. Em especial: Emerson "DADA" Lonetta & Carol por tanto amor; Sra Lilian e a família Felinto; Franco 4 Dedos ; Juliana Heredia; Dona Celeste e Noss@s Companheir@s em geral. Shalom.

Em memória de Robson Guyorg.


*Gravado e mixado no Estúdio Duna (ex Estudio Improviso): www.facebook.com/estudioduna960/?fref=ts
Produzido por Francisco "Kiko" Bueno & Kexo So Vile

Fotos por Anderson Fogo, Foguinho Nomade ou Foguete e os Ecalóides

Arte e edição artistica por Cataclismodonte

tags

license

all rights reserved

about

Pathéticos São Paulo, Brazil

há pouco mais de uma Era, mas fruto de uma árvore muito mais antiga, Pathéticos é o resultado do que nos comove e nos move a como ver à nossa forma. simples e complexo assim.

contact / help

Contact Pathéticos

Streaming and
Download help

Track Name: O Palhaço Fulano e os Sicranos Oníricos (Não Era Eu)
O Palhaço Fulano e os Sicranos Oníricos (Não Era Eu)

Deixa eu te contar uma história,
Não vai levar tempo algum.
Talvez pareça até folclórica,
Juro não fiz por mal nenhum...

... Não era eu.
(Não era ele!)
Não era eu!
(Não era ele!)

Te falarei uma coisa importante
Cujas palavras são di difíceis di dizer.
Por obséquio, o vocábulo é irrelevante.
Sei que é reverso do que possa parecer.

... Não era eu.
(Não era ele!)
Não era eu!
(Não era ele!)

Querida você que tudo sabe, por favor me entenda!
Se bem que quem entende tudo, não entende nada.
Num livro me escrevi pra você me analisar,
E concluir, que no fim da história...

... Não era eu.
(Não era ele!)
Não era eu!
(Não era ele!)
Track Name: Eu De Mim Mesmo
Eu De Mim Mesmo

Você me diz pra tomar cuidado,
Mas ficar do teu lado é o que há de pior.
Teu gosto domina o meu copo, ah, eu sei, o efeito já vai acabar.

Eu de mim mesmo,
Não tenho controle.
São onze da noite, o trem vai passar.

Você pediu muito mais do que eu sou,
E ficar do teu lado não quero evitar.
Te tenho tragando o cigarro,
E o prazer do agora é o que há.

Eu de mim mesmo,
Não tenho controle.
Teu calor me pede, não vá relutar.

Não vá
Eu de mim mesmo.
Track Name: O Cavaleiro Ébrio
O cavaleiro ébrio

O destemido cavaleiro em mais um dia jornada
Desperta com bico seco vai curar a sua ressaca
Cavalgando o seu pangaré com o destino ao bar
Mas antes de mais nada uma blitz manda-o parar

Acusa no bafômetro alto teor de álcool
Foge em disparada no seu quatro patas incontrolável
Saca o estilingue troca tiro com a policia
Procurado vivo ou morto eles querem sua cabeça

Em busca de meiota, sedento, cruza a ZL

O cavaleiro injuriado freia o bicho na esquina
Encontra vela, farofa, frango e uma garrafa da maldita
Seca na golada o trem desce queimando na goela
Cai na vala sem saber o que mais tarde lhe espera

Seu cavalo, bem sabido, lhe acorda lambendo a cara
Levanta muito doido com uma sede que não para
Sobe no quadrúpede num salto repentino
Continua a galopada para o bar, o seu destino

Em busca de meiota, sedento, cruza a ZL

Os homi chega dando o bote enquadrando o meliante
Com um disparo certeiro na testa pra selar a sua morte
Súbito vem a noite trazendo consigo a maldição
Quem bebe da pinga na encruzilhada faz um trato com o cramulhão

Cheiro de enxofre no ar envolvido de neblina
O pacto registrado em cartório com seu sangue ele assina
Surgirá nas madrugadas em desabalada carreira
Montado em seu corcel selvagem a sua alma penará

Em busca de meiota, sedento, cruza a ZL
Track Name: Lena
Lena

Acorda e abre a janela,
O sol brilha contraste e tom,
Os pássaros fazem o som
Com cheiro bom de aquarela

A brisa vem e faz sorrir,
Realidade a faz sonhar.
Sozinha aprendeu voar
Num mundo que vai colorir.

Todo dia Lena vai colorir o farol.
Malabares pelos ares pés descalços no chão,
De sorriso aberto, sempre esperta, pedra na mão.
Todo dia Lena vai colorir o farol.

Voa além...
Voa além...
Nos teus pensamentos Lena voa além.

A noite leva ela pra casa
E o sereno vai também.
Seguindo o trilho do trem
No descansar das asas.

Logo o sono está por vir,
Tem medo da escuridão.
Reza e acalma o coração,
Fecha os olhos vai dormir

Noutro dia Lena vai colorir o farol.
Malabares pelos ares pés descalços no chão,
De sorriso aberto, sempre esperta, pedra na mão.
Todo dia Lena vai colorir o farol.
Track Name: Homem Na Gaiola Do Tempo
Homem na gaiola do tempo

Homem,
Homem do espaço,
São sempre cinco e pouco,
O tempo não existe.

Homem,
Homem lento,
Inerte no vento,
Buraco negro é triste.

Homem,
Homem distante,
Vindo de tão longe,
Se perder aqui.

Homem,
Homem quadrado,
Ao cubo elevado,
Seaquinevasseceusavaesqui.

Homem,
Homem tão perto,
Do que lhe é certo,
Subtraído num segundo.

Homem,
Homem geométrico,
Entre passos letárgicos,
Vetorizando o mundo.

Homem,
Homem Contrário,
Na gaiola do canário,
A viajem é sempre longa.

Homem,
Homem cansado,
Mal humorado,
De domingo pra segunda.
Track Name: Da Leste Ao Centro
Da leste ao centro

Além de onde possa ver procura abster
E será que está a questionar;
Ou será que não há por quê?

Ontem no primeiro vagão e hoje na estação
E será que está a questionar;
Ou será que não faz questão?

Por algum momento
Da leste ao centro
Dentro do trem
O tempo passa
Tão devagar
Dentro do trem

Adeus e um toque na tez
Sorte ou revés?
E será que está a questionar;
Ou será uma última vez?

Por algum momento
Da leste ao centro
Dentro do trem
O tempo passa
Tão devagar
Dentro do trem
Track Name: O Certo e Mundo
O certo e mundo

Voocê ê fiiiiiinnnnngir
Ooooooobservaarr ao seu la doooo

O certoi muuuuunnnnndo
I uma imagem a zelar
Deixo ao largoooo

Uh uh uuuuuhhhhh
Uh uuuuuuuhhhhhh uh ah uh ah
Larah ru rah ru ruuuu
Uh uh uuuuuuuhhhh ah uh ah
Lara ru rah u

Um castelo estúúúpido
Como o de Uuuusher cederá

Sua imagem e discuuuuurrso
I isso naaa da mais dirá

Uh uh uuuuuhhhhh
Uh uuuuuuuhhhhhh uh ah uh ah
Larah ru rah ru ruuuu
Uh uh uuuuuuuhhhh ah uh ah
Lara ru rah uuu

O certoi muuuuunnnnndo
I uma imagem a zelar

Sua imagem e discuuuuurrso
I isso naaa da mais dirá
Track Name: Eu Tô Você
Eu Tô Você

Eu tô você
Naquela hora que você não tava mais nem ali,
Aí você voltou com seus problemas pra se divertir.
Me coloca no teu lugar

Eu tô você,
Um café amargo como os seus motivos de omitir minhas frases prontas,
Sempre você quer molhar suas palavras na minha boca.
Diz você pra se escutar

Eu tô você
Naquele andar que se eleva-a-dor pra ficar à pampa,
De onde eu vim, eu apenas trouxe essa merda de roupa.
Por que não deixa eu entrar?

Eu tô você
Que nem agora que você não quis mais que eu fosse
Igual a você, não sei o que lá, fazendo cu doce.
Eu te deixo me amar